domingo, 12 de abril de 2009

Dora agora é uma estrelinha...

Apesar de todos os esforços, preces e promessas, a guerreira 'matusquelinha' não resistiu e virou mais uma estrelinha no céu. Dorinha se foi nas primeiras horas desta quinta-feira santa, às 6:10hs.

No dia anterior recebeu mais duas sessões de acupuntura que era a única terapia capaz de fazê-la urinar apesar de após ter tomado 2,5 litros de soro. Após as sessões com as agulhinhas, fez um super xixizão, acredito eu, eliminando pelo menos a metade do soro tomado... Muito trêmula e fraca, precisou ser amparada pois não conseguia se manter de pé. Sua cabecinha balançava descoordenadamente e suas perninhas traseiras estavam muito rígidas.

Era uma cena muito triste de se ver... Nem quando a resgatei estava num estado tão deplorável quanto este. Até os ossinhos da cabeça estavam aparentes e ela ficava ali na gaiolinha, imóvel, quase que em estado catatônico, apesar de seus olhinhos, desde a sua internação, ainda acompanharem curiosos toda a movimentação da clínica; mas na noite de quarta-feira, seus olhinhos não eram mais os mesmos. Já não estavam tão abertos e nada curiosos, talvez já se despedindo daqui...

Mantida permanentemente no soro, resolvi testar fazê-la se alimentar dando-lhe uns 5 ml de sopa de legumes que ela aceitou sem a menor resitência. Estava com muita fome porém em menos de 10 minutos vomitou tudo.

Esse também era um dos motivos pelo qual era mantida em tempo integral no soro: vomitava tudo que lhe caía no estômago apesar de ter tomado anti-hemético. Dorinha estava faminta mas não conseguia se alimentar... consequência da alta taxa de uréia.


Apesar de todo esse quadro desanimador, saí de lá ainda esperançosa e acreditando num milagre. Sim! Eu acredito neles...
Os animais são criaturas tão especiais que nos surpreendem por sua capacidade de superação e forraleza. E era nisso em que eu me agarrava. Minhas esperanças triplicaram após ter conversado com a acupunturista que me confessou estar surpresa com Dorinha. Disse-me que nos casos de insuficiência renal crônica, o animal apresenta uma pulsação muito fraca, mas ao contrário disso, o pulso de Dorinha era vigoroso e ritmado, evidenciando um coração forte e com muita vontade de viver.

Mas o Pai Celestial não quis assim. Apesar de toda dor, tristeza e saudades que sinto agora, sei que Ele fez o melhor pra ela e era o que eu pedia em minhas preces. Pedia sempre o melhor, não segundo a minha ótica, mas sim, segundo a Sua Onisciência.

TUDO O QUE DEUS FAZ É BOM... certa vez, ouvi isso de uma amiga muito querida, cujas palavras eu sempre me lembro, principalmente nos momentos mais dolorosos. Sabe-se lá com que sequelas ficaria e que qualidade de vida poderia ter...

Fico sim com uma certeza, que me conforta por inteiro e me impele a continuar nessa luta: nesses 2 meses que Dorinha esteve sob os nossos cuidados (eu, Alessandra, o vet e os cuidadores da clínica), recebeu muito amor e atenção, foi muito mimada e cuidada, certamente como nunca em sua curta existência.
Soube o que era ter comida e água fresquinhas e em abundância. Fez inúmeros amigos, caninos, felinos e humanos também; aqui em Jampa e na internet.

Foi muito chamegada em seu lar temporário onde recebeu um lugarzinho VIP na casa da tia Alê. Dormia no quarto, aconchegada em seus paninhos e enroscada em 2 amiguinhos felinos ao lado da cama da tia.
Pela manhã, a tia Alê preparava especialmente pra ela uma iguaria regional, cuscuz com ovo e ela simplesmente a-dora-va!!!

Dorinha virou estrelinha sendo assistida numa clínica, deitada em seu travesseirinho bem macio, tendo conhecido o amor, o respeito e de uma forma digna. Não jogada num acostamento, 'fritando' num sol de meio-dia, morrendo lentamente até ser coberta pela poeira levantada pelos carros. Era o que o futuro lhe reservava caso os meus olhos não a tivessem enxergado quando eu passava por aquela estrada, naquele dia escaldante de janeiro.

Seu corpinho frágil agora descansa numa área muito verde e muito bonita e que fica no alto, mais perto de Deus.

Vai em paz, minha amiguinha... Que São Francisco esteja cuidando de ti agora. Siga com a certeza de que estarás pra sempre em meu coração... minha Dorinha, adorada e cheia de luz!
__________________________________

Quero deixar aqui registrada a minha profunda gratidão à Alessandra, que tão desveladamente dividiu comigo os cuidados com a mocinha e a acolheu amorosamente em sua casa e em seu coração. Que Deus te encha de luz, tia Alê!

Ao Dr. Eclenilson que não poupou esforços em busca de sua recuperação e por sua infinita paciência ao atender os meus 550 telefonemas e ao responder as minhas 3352 perguntas. Dr. André, por se juntar à nos, participando com tanta boa-vontade, apesar da paciente não ser sua. Antônio, Luis e Valdeir, cuidadores envolvidos em seu tratamento e que sempre a trataram tão carinhosamente.

À Dra. Eulânia, pelas sessões de acupuntura e moxabustão que fez com tanto carinho e gratutitamente, num gesto de amor e caridade.
À todos os amigos que rezaram, torceram e se juntaram nessa corrente de fé, mandando vibrações de amor e compaixão. Aos que colaboraram, comprando e/ou repassando a rifa e que, apesar do ocorrido, ainda continua para ajudar a quitar as despesas geradas. __________________________________________________________

Fica aqui, mais do que nunca, um apelo: NUNCA ABANDONE SEU(S) ANIMAL(IS)!!!! Eles tem sentimentos, sofrem e adoecem como nós. Não temos o direito de descartá-los como um objeto qualquer e sim o dever de PROTEGÊ-LOS. Se não queres a responsabilidade de cuidar de um, não o traga pra sua vida... O Universo agradece...

Paz e luz, sempre...


2 comentários:

Rosa Lucia disse...

Muitos dos meus amigões felinos estão neste céu fazendo companhia a esta nova estrelinha e sei o quanto dói em nós que as vemos partir...mas lá nesse céu, estas estrelinhas brilharão sempre mais para nos fazer lembrar o quanto foram especiais para nós, pobres mortais, que aqui ficamos a fitá-las na certeza de que lá, sim, serão para sempre felizes...que a paz que lá existe possa estar por aqui, de vez em quando, nos consolando a perpétua saudade desses amores que se foram em carne mas que estarão eternamente em nossos corações humanos. Um adeus amoroso a Dorinha. Rosa.

PaulaW disse...

ah, minha querida... eu sinto tanto...